Vamos falar sobre Depressão?

Nos últimos anos, a saúde mental tem se tornado um tema cada vez mais comum em diversos espaços. Se antes ela era um grande tabu, hoje ela é uma preocupação para todo tipo de pessoa. E um dos quadros mais famosos no que diz respeito às doenças psicológicas é a depressão.

Assim como outros quadros, poucas pessoas realmente entendem o que é a depressão, como ela se manifesta e quando estes sinais indicam uma doença. Para evitar que ela se torne um obstáculo muito grande no dia a dia de uma pessoa, é importante detectá-la cedo e buscar o tratamento adequado.

Pensando nisso, trouxe aqui algumas informações importantes sobre a depressão para explicar o que ela é, como pode ser identificada e como é feito seu tratamento. Acompanhe abaixo.

  • O que é “depressão” exatamente?

A palavra “depressão” é usada em vários contextos, mas nem sempre para se referir à condição em si. Do ponto de vista psicológico, a depressão é um conjunto de sintomas associados à queda de humor e à apatia.

Uma imagem comum e relativamente acurada é a perda de interesse ou de qualquer impulso para realizar qualquer tarefa. Incluindo aquelas que são consideradas prazerosas e/ou gratificantes.

Ela também pode se apresentar de diferentes formas. Pode ser branda, porém persistente, ser parte de um transtorno bipolar (que envolve quadros de euforia e de depressão) ou uma depressão pós-parto. Os sinais e os tratamentos variam um pouco de um caso para outro, sendo importante se atentar a estas diferenças.

  • Quais são os principais sinais?

Há alguns sinais que podem ser identificados no dia a dia. Ao notá-los, é uma boa ideia buscar ajuda. Os principais deles são:

• Apatia, ansiedade e/ou tristeza persistente por longos períodos;

• Alta irritabilidade;

• Sentimento de culpa não justificado;

• Perda de interesse ou gratificação com atividades que eram de seu interesse;

• Fadiga muito frequente;

• Inquietação durante o dia;

• Quadro de insônia ou período de sono muito prolongado;

• Alterações notáveis de apetite ou de peso;

• Dores de cabeça, cólicas, problemas de digestão e outros sintomas somáticos;

• Pensamentos de suicídio ou automutilação.

  • Qual é a diferença entre tristeza e depressão?

Um dos motivos para este ainda ser um tabu é sua confusão com a tristeza comum. Especialmente a resultante de um evento estressante.

O que diferencia a depressão da tristeza comum é sua persistência. Um quadro depressivo pode persistir por meses ou anos, dependendo de sua causa, enquanto a tristeza tende a ser passageira. Porém, em qualquer que seja o caso, a psicanálise pode ser de grande ajuda. Afinal, mesmo a simples tristeza pode ter vários impactos negativos quando não é trabalhada.

  • Como é feito o tratamento?

Ao contrário do que alguns ainda acreditam, a depressão possui tratamento e, em alguns casos, pode ser curada. A terapia psicanalítica ajudará a trabalhar as questões relacionadas e encontrar formas de melhorar seu estado emocional.

Em casos graves, medicamentos podem ser usados como apoio, ajudando a lidar com o componente biológico da depressão, sendo necessário o acompanhamento também por um psiquiatra. Com o tempo, a intenção é reduzir a frequência e intensidade dos remédios, para evitar que eles se tornem uma forma de dependência.

Obviamente, você deve seguir as recomendações médicas em todo o processo, tomando apenas a dosagem recomendada nos períodos adequados. Automedicação é um erro grave neste tratamento. Com estas informações, você já entende um pouco mais sobre a depressão e a importância de tratá-la. Preencha o formulário da página que eu entrarei em contato para conversarmos e podermos lidar melhor com este problema.

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Jair Bastos

Jair Bastos

Psicanalista com foco no atendimento do jovem. Ajudo no controle da ansiedade e da síndrome de pânico. Consultório no Méier.

Jair Bastos - Psicanalista no Rio de Janeiro